Mar Vermelho 2007


Data:

26.03.2007 a 01.04.2007

Local:

Egipto - Sharm El Sheik

Participantes:

Xplorasub

Laura Neves

João Neves

Com o incentivo do treino de mergulho profundo decidimos voar de novo até ao Mar Vermelho. Nesta expedição participaram a quase a totalidade dos membros do XploraSub / GES e ainda a Laura e o João Neves.

Apesar da programação antecipada, não conseguimos evitar uma sucessão de percalços desastrosos perpetrados pela Alitalia e seus funcionários. Entre conselhos contraditórios no check-in, atrasos na saída de Lisboa e mentirolas do comandante do avião, perda da ligação para o Cairo, inesperada pernoita em Malpensa, e um tratamento miserável pelas autoridades aeroportuárias italianas, lá conseguimos ainda assim aterrar inteiros, física e psicologicamente, em Sharm El Sheik.

À nossa espera, sorridente, o Manuel Leotte, com duas carrinhas para nos levar e ao nosso equipamento até ao Camel Dive Club, que constituiu durante mais de uma semana a nossa base. Aí foi providenciada a logística necessária, incluindo as misturas respiratórias utilizadas e a embarcação (Chic II, um velho conhecido) e respectiva tripulação.

Diferentes qualificações (2 Advanced Nitrox/Decompression Procedures, 2 Extended Range, 5 Trimix OC/CC) obrigaram a alguma ginástica logística, mas tudo correu conforme o planeamento.

1º dia (26.03.2007), Naama Bay – Tower

Com a perda de um dia em solo italiano, decidimos esquecer o dia previsto para descanso e configuração de material e mal poisámos a bagagem, começámos a preparar o primeiro mergulho. Este serviu não apenas para relaxar, mas também para nos adaptarmos e aferirmos a lastragem (equipamento e salinidade diferentes).

A parede terminava num plateau a cerca de 100m, tendo o mergulho não ultrapassado os -62 m. Foi usado ar como mistura de fundo e nitrox ricos para a fase descompressiva. O mergulho durou cerca de uma hora.

No 2º dia (27.03.2007), já afinados, vogámos ao estreito de Tiran, mais precisamente ao Thomas Reef, para mergulhar o famoso canyon. Qualificações diferentes ditaram configurações diversas, pares específicos e planos diferentes. Foi (por alguns) atingido o fundo do canyon que está a cerca de -90 m, tendo sido usado ar ou trimix como mistura de fundo e nitrox para a viagem e descompressão. No regresso compareceu um quinteto de curiosos bonito-dente-de-cão (Gymnosarda unicolor). Após uma hora e cinco minutos estávamos de regresso à superfície.

Ao 3º dia (28.03.2007) navegámos para Sul, para Ras Mohammed (Shark Observatory). Os grupos e os procedimentos foram similares. O mergulho foi conduzido ao longo da parede, tendo sido feita uma descida lenta (cerca de 7’ até ao fundo). Pudemos observar bastante vida marinha. Foi atingida uma profundidade de cerca de -130 m. Emergimos após 100’.

4º dia (29.03.2007). Regresso a Tiran e ao Thomas Reef e ao seu afamado canyon. Mergulho tecnicamente semelhante ao do 2º dia, se bem que com uma maior permanência. Andámos a vascular umas cavidades acerca de -80 m. O mergulho de 90’ foi abrilhantado, entre outros, por um bom cardume de xaréus-gigantes (Caranx ignobilis).

No 5º dia (30.03.2007) de novo em Tiran, mas desta vez para Jackson Reef. O objectivo era visitar os destroços do Lara, navio que galgou o recife e que durante as operações de desmantelamento, perdeu uma grande parte da estrutura (popa), rasgando a parede do recife até cerca dos -80 m e deixando atrás de si um rasto de metal retorcido. Mergulho complicado pela forte corrente (à superfície, a meia-água e no fundo), com alguns a não conseguirem atingir o destroço. Popa destruída, mas com algumas secções penetráveis. Grandes garoupas. Após 70’, com a corrente e a ondulação a dificultarem a manobra do Chick II, a recolha dos mergulhadores foi, digamos, “emocionante”.

O 6º dia (31.03.2007) foi dedicado a Jackfish Alley, na península de Ras Mohammed. Magnífico local para mergulho profundo (cerca de -80m), com a descompressão bem acompanhada por vida marinha. Algumas cavidades interessantes. Fizemos a subida pela face Norte da parede e após cerca de 100’ estávamos de volta.

7º dia (01.04.2007), de novo em Jackfish Alley, desta vez para subir pela face Sul.

Descida lenta (7’ até cerca dos -100 m). Muita vida selvagem a festejar o nosso último mergulho (de 90’) no Mar Vermelho. Isso e um manómetro de pressão que implodiu!


31 visualizações
VOLTAR AO TOPO

© 2016 XploraSub - Associação de Estudos Subaquáticos

Portugal

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now